A Associação Empresarial do Concelho de Matosinhos foi fundada em 10 de Outubro de 1901, com a denominação de Associação Comercial de Bouças.

Após a publicação em Maio de 1909, do Decreto-Lei que alterou o nome do Concelho de Bouças para o de Matosinhos, em Assembleia-geral de Julho do mesmo ano, foi deliberado que fosse adoptada a designação de Associação Comercial e Industrial de Matosinhos.
Em 1938, depois de um período de transição, a Associação teve que transformar-se no Grémio do Comércio do Concelho de Matosinhos.

Com o 25 de Abril de 1974, voltou a adquirir o seu antigo estatuto de Associação constituída livremente pelos seus associados, passando a denominar-se Associação Comercial do Concelho de Matosinhos.

Finalmente, em Assembleia-geral de 27 de Fevereiro de 2003, foi deliberado por unanimidade, que passasse a denominar-se Associação Empresarial do Concelho de Matosinhos.





PRIMEIRO PERÍODO DE 1901 A 1938
Associativismo Livremente Criado pelos Comerciantes e Industriais



De entre os Fundadores, Presidentes da Assembleia-geral e das sucessivas Direcções de 1901 até 1938 destacaram-se homens de rara envergadura, tais como: Ernesto António Lopes, José Esteves Fraga, José da Fonseca Meneres, Artur António Lopes, Domingos Ferreira Leite, Emídio José Ló Ferreira, Alfredo Alves de Oliveira, Cândido Ennes da Silva, Afonso Alves de Brito, José Alves de Brito, Manuel João dos Santos, Guilherme Joaquim Felgueiras, Ruy de Brito e Cunha, Amândio Lima, José António Afonso Barbosa, Miguel Augusto de Castro Lemos, António Marques Ribeiro, António Maria da Cunha, Eurico Felgueiras, José Manuel Cabral, Dr. António Pereira de Sousa, etc.

As primeiras sedes da Associação situaram-se na Rua de Brito Capelo, no 1º andar que actualmente tem o número 141, pegado à “Confeitaria Carioca” até 1909 quando foi transferida para a Rua Conde S. Salvador, nº 318, com frente também para a Rua de França Júnior, ocupando dois andares, num dos quais funcionou a sua Escola de Comércio.

Esse grande edifício foi mandado construir para residência do grande Benemérito Matosinhense António França Júnior.

Domingo Ferreira Leite, em 1909, tomou a iniciativa de instalar a sede da Associação nesse edifício, de que era então proprietário.

As actividades desenvolvidas desde 1901 até 1938, cuja esplendorosa história, constitui o período de ouro do associativismo do comércio matosinhense, que em si soube congregar as “forças vivas” do Concelho, defendendo acerrimamente a autonomia concelhia, vencendo as sucessivas tentativas de anexação do Concelho de Matosinhos pelo Concelho do Porto e contribuindo decisivamente para a construção das Docas do Porto Comercial de Leixões.

O jornal “O Comércio”, que se publicou durante algum tempo, foi um semanário e órgão oficioso da Associação, alheio à política partidária, advogando os interesses comerciais.

Em Assembleia-geral Extraordinária de 8 de Novembro de 1908, foi Sua Majestade El-Rei D. Manuel II, aclamado Presidente Honorário da Associação Comercial de Bouças.

Durante o primeiro período associativo apesar da inscrição como sócio ser livre o número de associados inscritos ao longo de 33 anos, atingiu o número de 1171, tendo em 1934 o número de 363 sócios efectivos, testemunhando o grande espírito associativo existente numa época de acentuada crise económica, com as numerosas falências resultantes da queda da bolsa em 1929.



SEGUNDO PERÍODO DE 1939 A 1974
Grémio do Comércio do Concelho de Matosinhos



Com a criação da Organização Corporativa em 1933, a Associação ficou a aguardar a decisão do Subsecretário de Estado das Corporações e Previdência Social sobre a sua continuidade ou dissolução.

Com a publicação do Decreto-Lei nº 29232 de 8 de Dezembro de 1938, tornou-se obrigatória a transformação da Associação no Grémio do Comércio do Concelho de Matosinhos.

Em 28 de Junho de 1939, em Assembleia-geral, presidida pelo Senhor António Marques Ribeiro, secretariado pelos Senhores Luís Pacheco Viana e Teodoro de Sousa Henriques, foram aprovados os Estatutos do novo Grémio, elaborados por uma Comissão constituída pelos Senhores Luís José de Oliveira, João Dias Pereira, Amador Acácio da Fonseca, Teodoro de Sousa Henriques e Manuel Dias da Fonseca Rocha.

Durante a II Guerra Mundial, de 1939 a 1945, o Grémio colaborou no racionamento de víveres, com a intendência Geral dos Abastecimentos e Comissões Reguladoras, assegurando o abastecimento de géneros alimentícios de primeira necessidade à população do Concelho de Matosinhos.

Em colaboração com a Comissão Reguladora dos Combustíveis, eram distribuídos pelas carvoarias do Concelho os seguintes produtos: carvão de pedra, briquetes, carvão de choça ou de pinho, etc.

O Grémio colaborou também com a Comissão Reguladora de Produtos Químicos e Farmacêuticos, no fornecimento de água-raz e pés ás drogarias do Concelho.

No campo da acção social o Grémio criou prémios escolares para os alunos da Escola Comercial e Industrial de Matosinhos e atribuía donativos regulares ao Lar do Comércio e ao Lar de Pinheiro Manso bem como a Viúvas de comerciantes.

Como as instalações do Grémio eram muito antigas a sede foi transferida, em 1 de Abril de 1962, para a Rua Brito Capelo, número 90 – 2º Andar, passando a dispor de melhores condições para a instalação dos Serviços, incluindo o posto médico e de enfermagem.

Foram Presidentes da Assembleia-geral e/ou da Direcção os senhores Luís José de Oliveira, Teodoro de Sousa Henriques, José Martins Nunes, João Dias Pereira, José António Pereira de Faria, António Marques Ribeiro, Albano Teixeira Basto e Jorge Guimarães Silva.

Na sequência da revolução de 25 de Abril de 1974 teve lugar em 19 de Junho de 1974 uma Assembleia-geral, durante a qual os Corpos Gerentes do Grémio apresentaram o pedido de demissão colectiva, tendo-se constituído uma Comissão Administrativa para gerir e reestruturar o Organismo e proceder à eleição de novos corpos gerentes.

A equilibrada situação financeira do Grémio justificava-se pela obrigatoriedade de todos os comerciantes do Concelho se inscreverem como sócios ou contribuintes sujeitos ao pagamento da respectiva quotização.



TERCEIRO PERÍODO DE 1975 A 2003
Associação Comercial do Concelho de Matosinhos



Em Assembleia-geral de 7 de Agosto de 1975 foram aprovados os novos Estatutos que transformaram o antigo Grémio na Associação Comercial do Concelho de Matosinhos.

Pena terá sido que em 1975 o associativismo do comércio matosinhense não tenha adquirido a antiga denominação de Associação Comercial e Industrial de Matosinhos, num significativo regresso ás origens, amplamente justificado pela liberdade de filiação que o Estado de Direito Democrático veio restaurar.

De entre as principais realizações da Associação desde 1975 até 2001, podemos destacar o “Dia do Comerciante”, celebrado anualmente a partir de 1980 no qual são homenageados os comerciantes com 25 anos de filiação e desde 1988 é proclamado e distinguido o “Comerciante do Ano”, são debatidos assuntos de interesse para o comércio e os associados participam numa Missa de sufrágio pelos seus membros falecidos, que habitualmente é seguida de um almoço-convívio, destinado a reforçar os laços de solidariedade e companheirismo entre os seus pares do comércio.

Os Corpos Sociais que geriram a Associação Comercial do Concelho de Matosinhos, souberam permanecer fieis ás tradições associativas, apresentando sempre com responsável firmeza e sempre que possível com suavidade, junto do Município, do Governo e da Administração Pública, as justas reclamações do comércio do Concelho.

A Escola do Comércio da Associação Comercial do Concelho de Matosinhos tornou-se numa eficiente realidade preparando a juventude para exercer a sua profissão como autênticos Técnicos de Comércio.

Entretanto a Escola passou a denominar-se EDMUNDO FERREIRA – EPROMAT – Escola Profissional de Matosinhos, homenageando aquele que foi um Grande Industrial de Pesca e Conservas, a quem Matosinhos ainda não prestou a devida homenagem, àquele que foi durante largos anos Vereador do Município Matosinhense.

A presidência da Assembleia-geral e/ou da Direcção, desde 1975 até 2003 foram assumidas pelos Senhores: Torcato Rogério Lago, Rogério Santos Ferreira, Fernando de Sá Ferreira, Abel Ferreira Ribeiro, Franklim Branco Gomes e Fernando Fernandes Sá Pereira.

Nota: Grande parte destes textos foi extraída do livro “Subsídios para a História do Centenário da Associação Empresarial do Concelho de Matosinhos”, de autoria do advogado e historiador Domingos Galante de Matosinhos, um grande amigo desta instituição.

 

 

 
 
© AECM 2007. Todos os direitos reservados | Mapa do Site | Home